Cinco motivos que colocam Medellín na vanguarda da prática urbanística

Vanguarda, do francês avant-gard, se referia historicamente a equipes de reconhecimento na frente de batalha do exército francês, o termo então ganha amplitude no sec. XX e, metaforicamente, significaria ações a frente de seu tempo e foi na busca de entender essa vanguarda, do ponto de vista urbanístico, que cheguei até a Colômbia, atraído pelas mundialmente famosas transformações das cidades de Bogotá e Medellín, onde passei cerca de duas semanas tentando desvendar inloco os segredos que levaram as duas cidades a sair de uma situação de caos social a exemplos mundiais de requalificação urbana e mobilidade sustentável, sobretudo em Medellín, cidade foco neste texto, que em um plano bem-sucedido de investimento massivo em cultura cidadã e valorização da vida, base para reformas estruturais no modelo de segurança pública, transporte, espaço público e educação, adaptando o modelo de Bogotá a sua realidade, até então ainda mais grave e caótica, iniciando o processo que culminaria no seu renascimento. Minha análise empírica e de vivência, ainda que curta, na cidade, me permitiu enumerar alguns princípios norteadores dessa transformação.


01 – Abordagem Sociológica do problema - Políticas de valorização da vida e da cultura cidadã


Um dos maiores méritos de Medellín foi buscar entender o contexto em que o problema está inserido sob o ponto de vista sociológico, suas causas e consequências e a partir da participação popular, planejar ações que norteariam seu renascimento enquanto cidade, trabalhando uma equidade entre o debate técnico e o humano, mas partindo para ação concreta e direta dentro de um plano geral e de objetivos definidos. Os profissionais envolvidos, precisaram entender que os altos índices de violência eram consequência direta da desigualdade social vigente e dos baixíssimos índices educacionais. Uma população abalada e que naturalizava a violência em seu cotidiano precisava ter reconstruída sua autoestima e cidadania, desconstruindo os medos e a insegurança do imaginário popular, era preciso sobretudo mostrar e fazer todos acreditarem que uma nova cidade era possível e que a vida das pessoas é o bem mais precioso que existe.


02 – Uma metodologia objetiva de planejamento – Integralidade de Projetos


Entender cidade como um único organismo é critério básico para um bem-sucedido plano de ações urbanísticas, cada intervenção deve ser pensada de forma integrada. Os projetos de Medellín, apesar de terem como objetivo geral a diminuição dos índices de violência, atingiram problemas de forma multidimensional, foram pensados não como soluções isoladas, mas como parte de um único plano. Os parques-biblioteca são excelentes exemplos dessa multidimensionalidade, um equipamento cultural âncora, projetado para ser também ponto de encontro e convivência da comunidade, recebe no seu entorno espaços públicos para o esporte e o lazer e funciona nele outros equipamentos de apoio social e econômico para a população. Toda essa complexa teia de serviços se integra ao restante da cidade através de uma eficiente rede de transporte público multimodal a uma distância perfeitamente caminhável. A cidade teve sobretudo uma metodologia muito bem definida de planejamento das ações para a implementação da ideia, que trouxeram maior organização e foco nas etapas de intervenção que passa diretamente por participação popular, diagnostico e descrição do problema, definição de um objetivo geral, tipificação dos componentes para dar resposta ao problema e apresentação e discussão dos projetos com a comunidade, além de uma correta e transparente gestão de todo o processo.


03 – Gestão e continuidade dos projetos


Medellín possui a “Empresa de Desarollo Urbano - EDU” (Empresa de Desenvolvimento Urbano), uma estatal que garante a gestão de todos esses projetos e sua continuidade, os projetos são da cidade e não de uma gestão e a transparência no uso desses recursos e seu consequente bom resultado traz ainda a confiança de parceiros e investidores futuros. Ainda dentro da questão de gestão preciso destacar a fala do diretor do Parque-Biblioteca San Javier, que gentilmente nos recebeu em sua sala e destacou como foram essenciais a vontade política e a correta gestão do dinheiro público em todo esse processo.


04 – Equipamentos e espaços públicos de alta qualidade com priorização das ações – “O Melhor para os mais pobres”


O alto nível de acabamento e qualidade arquitetônica de todos os equipamentos públicos realmente chama atenção. A filosofia implantada pelo prefeito Sergio Fajardo (2004-2007) tinha como princípio a frase “O melhor para os mais pobres”, entendendo que a desigualdade social e o déficit educacional da população eram os principais causadores da violência que assolava a cidade. Cada uma das mais violentas e desiguais comunidades de Medellín foram mapeadas e receberam equipamentos de altíssima qualidade arquitetônica, todos acompanhados de grande obra de requalificação e recuperação de espaços públicos no entorno. Essas ações interferem diretamente na autoestima do morador e cria a sensação de pertencimento entre população e lugar. A cidade é reconhecida mundialmente e, segundo dados da EMBARQ, instituição internacional de pesquisa em cidades sustentáveis e desenvolvimento urbano, Medellín havia criado até 2012, 1,6 milhões de metros quadrados em novos espaços públicos, espalhados em 25 parques e 11 passeios urbanos. Minha experiência pessoal nesses espaços posso dizer que foi extraordinária e enriquecedora, o fino trato do espaço público de áreas de população mais pobre é evidente aos olhos.



05 – Um transporte público eficiente, integrado e multimodal


Conexão é um dos fatores essenciais para bem-sucedidas intervenções urbanas sustentáveis a longo prazo, é necessário criar uma rede de transportes com prioridades muito bem definidas criando alternativas de alta eficiência e baixo custo que atraia cada vez mais novos usuários. Medellín conta com um sistema de transporte público que, como todas as outras obras estruturantes, fazem parte de um único plano maior, um sistema com alto nível de acabamento e integração de modais, que conta com: Metro (Trem de superfície), Metrocable (Teleférico), Metroplus (Corredores exclusivos para ônibus) e Micro-ônibus. O Metro conta com uma estrutura de trem de superfície, em linha que corta toda a cidade em eixo norte-sul e se integra diretamente ao Metroplus (corredores exclusivos para ônibus), ao MetroCable, os famosos teleféricos de Medellín, nascido para dar acesso às comunidades pobres e assentos informais em altitudes mais elevadas e íngremes, e Micro-Ônibus, que funcionam de maneira a complementar o sistema de acesso. O resultado de tudo isso foi um aumento de 30% no número de usuários do transporte público, que em 2014 chegou a cerca de meio milhão por dia, segundo dados da Prefeitura de Medellín. A cidade possui ainda uma considerável estrutura cicloviária, para um local de relevo tão acidentado e um sistema de bicicletas compartilhadas (EnCicla) que interliga universidades e áreas importantes da cidade. Vale ressaltar a atenção com as calçadas, o que faz da caminhada outro meio altamente viável de deslocamento, acredito eu que longas distâncias podem, relativamente, tornar-se curtas quando são transformadas em espaços caminháveis, o que passa diretamente por uma correta pavimentação, promoção de áreas verdes e sombreadas, espaços públicos estratégicos para descanso e acessibilidade universal


Para concluir, devo orientar o leitor que a cidade ainda possui diversas mazelas sociais típicas de países em desenvolvimento, mas também é importante destacar que o modelo caminha bem e para frente, sem estagnação e com raros retrocessos e posso afirmar categoricamente que Medellín mostrou ao mundo que é possível mudar a realidade de um lugar em estado de caos e desordem para um rumo de cidade mais igualitária e digna para sua população em um contexto sociocultural muito similar ao nosso, uma autêntica aula de urbanismo na prática em um imenso laboratório a céu aberto. Aquela breve visita na cidade e meu eficiente “portunhol” me permitiu conhecer, vivenciar e confirmar o fato de ali realmente existir um exemplo mundial em mobilidade sustentável, requalificação urbana e efetivo combate à violência, tendo como principal bandeira a melhor de todas as armas: a educação.


(Este artigo é de autoria de Yuri Nobre e está atualmente publicado no livro "Conexão Recife Medellín Compaz", de Murilo Cavalcanti, lançado pela Companhia Editora de Pernambuco - CEPE, 2022. O artigo é uma síntese do artigo publicado anteriormente neste mesmo blog onde o autor enumera oito motivos e descreve com mais detalhes e pode ser acessado aqui)


Featured Posts
Recent Posts
Search By Tags